Área do Cliente

O que é um sistema de detecção e alarme de incêndio?

Murillo Buono

Murillo Buono

Acidentes acontecem e nem sempre estamos preparados para eles. Por conta disso, e com o objetivo de preservar vidas e patrimônios, é que existe o sistema de detecção e alarme de incêndio.

O sistema de detecção e alarme de incêndio geralmente é composto por duas “partes”, o sistema de alarme e o sistema de detecção. Estes sistemas são interligados a uma central capaz de controlar e monitorar estas “partes”, gerenciando as ações entre elas.

O sistema de detecção é composto por detectores de fumaça automáticos e acionadores manuais, devidamente arranjados e dispostos de forma a identificar precocemente um foco de incêndio, sejam pela identificação da fumaça, ou pela identificação visual de algum ocupante que dispara o acionador manualmente.

Diversas tecnologias de detectores estão disponíveis, dentre elas, destacam-se os detectores pontuais de fumaça e os detectores pontuais de calor, muitas vezes é difícil de identificar visualmente qual deles está instalado em um ambiente, mas eles possuem aplicações bem distintas.

Ainda existem outras tecnologias em detecção, como os detectores lineares de temperatura, os detectores de alta sensibilidade por aspiração de fumaça, os detectores de chamas, entre outros. O arranjo destes detectores é interligado por uma infraestrutura de cabos condutores, formando o chamado laço de detecção, e este laço, por sua vez está interligado com a central.

O sistema de alarme é o coração deste sistema e é composto por uma rede de sinalizadores áudios/visuais que têm por objetivo promover a comunicação de emergência no ambiente. Esta rede deve ser projetada e distribuída ao longo da rota de fuga para poder notificar todos os ocupantes da edificação a evacuarem o ambiente com total segurança.

A interligação destes dois sistemas é fundamental para o sucesso da proteção das vidas e patrimônios envolvidos, pois a combinação destas funções em uma central de incêndios proporciona o sinal da detecção automática de incêndio com o comando dos dispositivos de sinalização, possibilitando uma evacuação antecipada e ainda mais segura.

O que mais se espera de um sistema de detecção e alarme de incêndio é sua confiabilidade. Um sistema pode incorrer em alarme falso em função de diversos fatores, como má instalação e sujeira, por exemplo. A frequência destes falsos alarmes pode significar perda de vidas em uma situação real de emergência, caso sua credibilidade esteja baixa, ao mesmo tempo que seu desempenho insatisfatório pode retardar a sinalização em uma situação onde cada segundo é precioso.

Por este motivo é de suma importância a atenção na fase de projeto, instalação e na utilização de equipamentos certificados em possuírem a garantia de atendimento às normas de fabricação e testes. E claro, uma vez instalado o sistema, este deve ser mantido e testado periodicamente.

Muitas vezes na indústria ainda temos interligado um sistema de extinção automática à central de incêndio, tornando possível um combate automático e muito eficaz logo no início do incêndio, mitigando as perdas e protegendo a continuidade das operações.

Um sistema de detecção e alarme de incêndio não evita um sinistro, mas pode sim minimizar as perdas e salvar muitas vidas.

Murillo Buono é gerente de produtos da ICS.