Com experiência no comando operacional de grandes ocorrências, coronel assume o comando-geral do CBPMESP

  • Página inicial
  • /
  • Notícias
  • /
  • Com experiência no comando operacional de grandes ocorrências, coronel assume o comando-geral do CBPMESP

À frente do CBPMESP (Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de SP) desde janeiro de 2017, o comandante-geral, coronel Cássio Roberto Armani, ressalta a importância da continuidade do trabalho de gestões anteriores. “Temos um planejamento para a gestão 2017/2020, mas não podemos parar o que estava sendo feito. É importante que haja este alinhamento, esta continuidade de trabalho, para que possamos oferecer o serviço da melhor forma possível”.  Com mais de 25 anos no Corpo de Bombeiros, Armani participou de grandes ocorrências, incluindo resgate e salvamento, incêndios industriais e emergências químicas, além de atuar como instrutor de mergulho autônomo por dez anos, na corporação.

Durante entrevista à Revista Emergência, o comandante ressalta investimentos em recursos humanos e materiais, bem como a Ampliação de pistas de treinamento da Escola Superior de Bombeiros. Como desafios para 2017, o coronel cita a aprovação dos decretos que deverão regulamentar o Código de Segurança contra Incêndio e Emergências e a criação de um sistema que regulamente a participação de bombeiros públicos municipais e bombeiros voluntários no estado.

PERFIL CÁSSIO ROBERTO ARMANI
Coronel Armani iniciou sua carreira na Polícia Militar de SP em 1982, se formando no Curso de Formação de Oficiais em 1986. É mestre e doutor em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública (2003 e 2011) pelo Centro de Altos Estudos em Segurança. Graduado em Engenharia Civil (2001), pós-graduado em Engenharia de Segurança do Trabalho (2006) e mestre em Habitação pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas de SP (2016). Durante sua trajetória concluiu diversas especializações, no Brasil e no exterior, como Prevenção de Incêndio e Comando e Controle Operacional no The Fire Service College, na Inglaterra (1994), além de possuir treinamento de Combate a Incêndio (1992) e Resposta a Emergências Químicas (1996) na Escola de Bombeiros do Texas. Há 28 anos vem empregando sua experiência no Corpo de Bombeiros, onde exerceu diversas funções, entre elas coordenador operacional e instrutor de mergulho autônomo. Atualmente, é membro do grupo de trabalho do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de São Paulo, que estuda os incêndios em terminais de armazenamento de líquidos inflamáveis e comandante do CBPMESP desde janeiro de 2017.

QUAIS SUAS EXPECTATIVAS E METAS PARA ESTA GESTÃO?
Eu assumo o comando do Corpo de Bombeiros buscando dar continuidade ao planejamento estratégico que foi aprovado para o quadriênio 2017/2020, em alinhamento com o que já vinha sendo construído. É importante que o serviço de bombeiros e o serviço público em geral tenha metas, trabalhe com resultados e que não tenha solução de continuidade a cada troca de comando. Precisamos atuar de forma institucional. Temos vários projetos para este ano, incluindo a aquisição de viaturas e equipamentos, por meio de parcerias (convênios), além da instalação dos rádios digitais que foram cedidos pela Polícia Militar para todas as viaturas da capital e futuramente de todas da grande São Paulo. Sem dúvida, este é um grande passo para a melhoria da comunicação nas emergências. A ampliação das pistas de treinamento da Escola Superior de Bombeiros e a implantação de um sistema de ensino à distância, aplicado à Educação Pública, no qual os professores da rede estadual de ensino serão treinados como multiplicadores, também fazem parte das nossas metas para 2017. Mas, o grande desafio do ano é, sem dúvida, conseguirmos a aprovação dos decretos que deverão regulamentar o Código de Segurança contra Incêndio e Emergências (Lei Complementar nº 1.257 de 2015). O maior passo será no sentido da criação de um Sistema Estadual de Atendimento a Emergências, regulamentando a participação de bombeiros públicos municipais e bombeiros voluntários, ampliando o número de municípios atendidos pelo Corpo de Bombeiros.

Por
Revista Emergência / Luana Cunha

Confira a entrevista completa na edição de março da Revista Emergência.

Fonte: Revista Emergência

Os comentários estão encerrados.